Mas é só um docinho?

Semana Mundial do Aleitamento Materno
1 de agosto de 2018
Obesidade infantil
5 de outubro de 2018

Por: Amanda Martins e Camila Martinelli, da Laranja Lima Consultoria em Nutrição Materno Infantil

Nossa sociedade tem a cultura de comparar carinho e atenção com os doces. Quando a criança chega na casa de parentes, quando sai para ir ao mercado ou nas festas da família, é comum ouvirmos aquela frase “dá um docinho pra ele”, “um só não vai fazer mal” e a melhor de todas, “eu comi e não morri”.

É importante saber que até que a criança complete dois anos de vida, a orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria e do Ministério da Saúde é que ela não receba nenhum tipo de doce. A explicação é que neste período, a criança está em formação de seu paladar e de seus hábitos alimentares, além de possuir a tendência a aceitar alimentos doces com mais facilidade, já que o líquido amniótico e o leite materno possuem sabor semelhante.

Mas sem açúcar não tem gosto

Banana e maçã: por serem frutas doces, sabor doce às preparações além de auxiliarem na consistência, já que possuem características que ajudam a dar liga. O legal é escolher as frutas mais maduras, pois são as mais doces ou, dependendo da preparação, cozinhar um pouco antes de utilizar.

Frutas secas: uva passa, damasco, tâmaras são bons exemplos. Para serem feitas, é retirada boa parte de sua água, o que concentra o açúcar da fruta, tornando-a doces e indicada para receitas tanto em pedaços como trituradas. Podem ser usadas para preparar caldas, acrescentando água e cozinhando.

Xilitol: é um adoçante natural feito de fibras de plantas e frutas, uma ótima opção para substituir o açúcar e alguns adoçantes artificiais também. Porém, continua sendo um adoçante e é necessário ser usado com moderação.

 

 

 

 


Depois de dois anos, é tudo liberado?

Não é necessário liberar o açúcar e alimentos doces assim que a criança completa 2 anos de vida. Mas com essa idade, a criança passa a ter maior convívio social com colegas e família, tornando mais difícil evitar esses alimentos. Dessa forma, a criança pode experimentar sim!

Entretanto, é importante que ela demonstre vontade, que não seja direcionada a isso, experimentando o alimento se ela quiser. Proibir neste caso não é interessante pois acaba chamando mais atenção. As crianças que não recebem esses alimentos doces desde cedo tendem a não consumir em excesso quando experimentarem.

 

Confira aqui algumas sugestões de receitinhas sem açúcar!

Bolinho de cenoura

Ingredientes:

• 2 ovos

• 2 cenouras grandes

• 1 ½  xícara de xilytol

• 1 xícara de farinha de trigo

• 2 xícaras de farinha de trigo integral

• 1 xícara de óleo de girassol ou coco

• 1 xícara de água fervente

• 1 colher (de sopa)de fermento em pó

Modo de fazer

Coloque os ingredientes sólidos (menos o fermento) em uma vasilha, acrescente o óleo e a água e misture. Leve a batedeira e bata bem. Após desligar a batedeira, acrescente o fermento, misturando levemente. Unte e enfarinhe uma forma ou coloque a massa em forminhas de cupcake de silicone e asse em forno pré-aquecido 180º por 40 minutos. Podem ser congelados já prontos por até 90 dias.


Cookie simples de banana com aveia

Ingredientes:

• 1 banana

• 2 colheres de sopa de aveia

• Uva passa e/ou gotas de chocolate (para crianças maiores de 2 anos)

Modo de fazer

Amasse a banana, acrescente a aveia e os outros ingredientes. Faça bolinhas, coloque em uma forma untada e asse em forno pré-aquecido a 180ºC por 15 a 20 minutos. Guarde em um vidro bem fechado e seco por no máximo 3 dias.


Bolinho de aveia, banana e maçã

Ingredientes:

• 1 banana amassada bem madura

• 1 maçã ralada

• 4 colheres de farinha de aveia

• 2 colheres (de sopa) de leite em pó ou farinha de coco (opcional)

• 1 ovo (gema passada na peneira)

• Um punhado de uvas passas ou gotas de chocolate amargo (opcional)

• 1 colher (de café) de fermento

Modo de fazer

Junte todos os ingredientes em uma vasilha, misture bem até que fique uma massa grossa. Despeje em forminhas de cupcake e coloque no forno pré-aquecido até assar. Podem ser congelados já prontos por até 90 dias.