Josh Wakely e o mundo animado de Beat Bugs
6 de novembro de 2016
É hora de sarar, é hora de dançar
27 de novembro de 2016

Gabriela Kapim

A fada madrinha da boa alimentação

Por:  Lilian Philippi – Fotos: G. Pestalozzi

A apresentadora e nutricionista conta sobre a importância da alimentação infantil

Gabriela de Mattos Gonçalves, já ouviu falar? Não? Mas da Gabriela Kapim eu aposto que já.  Apresentadora do programa “Socorro! Meu filho come mal”, ela é referência nacional quando o assunto é a alimentação dos pequenos. Mãe da Sofia e do Antônio, ela viaja o Brasil com palestras para profissionais, pais e interessados em como ajudar as crianças a se alimentarem melhor. No dia 15 de outubro, Kapim esteve em Florianópolis para a palestra “A alimentação do seu filho em suas mãos” a convite da empresa TDA Treinamentos.

Em entrevista exclusiva, Gabriela nos contou que iniciou seu trabalho com crianças dando aulas de capoeira enquanto cursava a faculdade de nutrição. Seu objetivo era fazer nutrição esportiva, já que sempre foi atleta e até hoje pratica exercícios físicos. Quando se formou em nutrição na Universidade de Santa Úrsula (RJ), a escola onde dava suas aulas de capoeira a convidou para trabalhar como nutricionista. A partir daí surgiram pedidos de pais de alunos para que os ajudassem em casa e assim passou a trabalhar dentro das casas dessas crianças. Aí a coisa se desenvolveu, e Kapim começou a ser referência na área de alimentação infantil no Rio de Janeiro e a ter participações especiais em alguns programas da TV.

O programa

O Programa “Socorro! Meu filho come mal” surgiu do convite de uma amiga do canal GNT que estava formando um programa sobre a alimentação infantil – naquela ocasião, ela pediu algumas dicas para Kapim. Em seguida, surgiu o convite para que fosse a estrela do programa, e ela respondeu: “Só se for pra fazer o que eu faço. Se quiserem vir atrás de mim com a câmera pra ver como eu faço as crianças comerem, pode ser”. O canal topou e o programa já está em sua 8ª temporada. Ainda assim, cada temporada é um desafio. Gabriela Kapim conta que o objetivo é que o programa seja renovado, mas sem perder a identificação que o público já tem. O desafio é grande e o envolvimento com as famílias, a cada episódio, é intenso por conta dos poucos dias de gravação. “Essa combinação de criança, alimentação e televisão tira o meu couro (risos)”.

Dicas da Kapim

Eara Gabriela, o erro mais comum que os pais cometem desde a introdução alimentar é a substituição. Oferecer para a criança qualquer outra coisa no lugar daquilo que ela deve comer, mesmo que seja o peito da mãe, cria um comportamento inadequado que tende a piorar com o passar dos anos. “No desmame, se a criança rejeita a papinha e é oferecido o peito, por mais que o leite seja o melhor alimento que um bebê possa ter, já é uma conduta comportamental que vai criar um comportamento inadequado que é: se eu rejeito, ganho o que eu quero”. Desde o processo do desmame é possível construir um comportamento relacionado à alimentação com a criança. É preciso que os pais compreendam o os valores da alimentação como uma estrutura saudável e não sejam tão permissivos. “A criança pode escolher qual verdinho quer comer, mas não pode escolher não comer verdinho”. Segundo Kapim, o risco da má alimentação não é eminente, mas essa criança que come mal corre o risco de ter colesterol alto com dez anos e enfartar aos vinte. Mesmo viajando muito, os filhos de Gabriela sempre comem bem, porque quem estiver com eles sabe os valores da boa alimentação. Dessa forma não dá pra usar a quantidade de trabalho e atividades como desculpa para a má alimentação. “Dá trabalho? Dá. Mas são valores importantes que temos que passar aos filhos”.

Apesar de cada criança ter as suas individualidades e necessidades, Gabriela criou os cinco mandamentos para ajudar os pais que assistiam ao programa a praticar em casa a boa alimentação com seus filhos. São eles:

10 Comer sentado à mesa (porque o convívio familiar é muito importante)
20 Comer sem distrações (TV, tablet e celular desligados para que o foco seja a refeição)
30 Comer sozinho/ fazer o próprio prato (estimula a autonomia das crianças)
40 Ter e comer cinco cores no prato (garante que a criança consuma todos os nutrientes que precisa).
50 Experimentar novos alimentos (aumenta as opções do que gostam à mesa).

 kapim_tres

Na lancheira

Na lancheira da escola, os piores alimentos são o biscoito recheado e o suco industrializado, que segundo a nutricionista equivale a refrigerante sem gás. O importante é que sempre tenha uma fruta ou um legume. “Mesmo que seja uma folha de alface no meio de um pão com requeijão. Nutricionalmente não tem valor, mas a criança cria um reconhecimento com aquele verde, e quando tiver no prato a aceitação é maior”. Uma dica da Kapim são os palitinhos com ovo de codorna, tomate cereja e azeitona.

A motivação

kapim_educar

O que me motiva é ver a transformação real. A criança que come bem, de forma saudável, é mais feliz! Por mais que meu trabalho seja difícil (porque não é fácil entrar na vida e mudar a rotina das famílias), ver os resutados, ver essa mudança, isso me motiva! E não vou parar nunca!

Gabriela Kapim