Obesidade infantil
5 de outubro de 2018
Cuidar de Si
3 de abril de 2019

Por: Auxiliadora Mesquita | Fotos: Cau Gelbert

Não é fácil para ninguém, nem para as mães em tempo integral, nem para quem tem que voltar ao trabalho depois da licença maternidade. E, para aquelas que têm o próprio empreendimento, o desafio é enorme! Afinal, como é possível conciliar a atenção constante que uma empresa deve ter com a dedicação intensa de que um filho precisa?

Pois é possível dar conta disso, sim! E Déborah Viegas, entre tantas outras mulheres empreendedoras, está vivendo essa realidade desde o nascimento de Pietro, o lindo bebezinho nascido em dezembro do ano passado. É um malabarismo e tanto, mas mulheres como Déborah estão preparadas para mudar – e evoluir.

Transformação

Mudança e evolução parecem ser mesmo as palavras chaves. A própria história profissional de Déborah Viegas aponta para isso. Afinal, tudo começou quando essa mineira escolheu Florianópolis para morar e estudar. Achou que o sonho era Pedagogia e chegou a trabalhar na área, mas logo percebeu que queria outros horizontes. Mudou o curso para Administração e com isso, mudou o rumo de sua vida também.

Começou empreendendo numa pequena salinha de poucos metros quadrados. “Comecei a loja em uma sala de 20m2” conta Déborah. “Era para ser algo estiloso e pequeno. Recebi uma rescisão no meu antigo emprego e investi na salinha. Em 3 meses abri na rua, foi um sucesso”. Surgia assim a Quote, inicialmente com as roupas que trazia de Brusque. Em pouco tempo, o negócio cresceu, a clientela aumentou e o trabalho, é claro, ficou maior e mais complexo também.

As dificuldades existiam, mas nada que impedisse a empresária de crescer. “Dificuldade foram as cópias, que me incomodavam um pouco no começo. Sempre fui muito criativa e isso ajudou muito”, revela.

“Mas a alegria foi a boa aceitação e o retorno pessoal que a loja me deu ao longo dos anos”.

Os negócios continuaram evoluindo e hoje a Quote já está consolidada no mercado, com uma loja maior em novo endereço no centro de Florianópolis. E Déborah ainda lançou outras três marcas próprias de roupas, que supervisiona de sua nova base na capital paulista, vendendo para todo o Brasil.

Surpresa

Essa posição sólida e bem sucedida no mundo business é fruto de paixão, trabalho e muita conexão com as clientes. “Em primeiro lugar, acreditar que vai dar certo e ter comprometimento e dedicação. E sempre estar preparada para o melhor e para o pior”, nos conta Déborah. “Não é sempre um mar de rosas, mas a gente consegue seguindo em frente com muita positividade e criatividade”. Desde a escolha do que vender até o investimento na relação especial que mantém com as clientes, Déborah faz questão de estar à frente de tudo. E, com a ajuda dos sócios,  manter-se sempre relevante. Essa forte capacidade de empreender não foi abalada nem pela chegada inesperada de Pietro.

Sim, ele chegou sem avisar. E como os melhores presentes, trouxe surpresas, alegrias e, mais uma vez, a transformação na vida de Déborah. “Foi mágico e, ao mesmo tempo, desesperador. Minha gravidez não foi planejada e aconteceu em um momento muito específico, em meio a uma cirurgia e prestes a me mudar de cidade”, recorda a empresária. “Mas meu maior medo hoje é meu maior amor. A gente se transforma”.

Déborah confessa que a maior mudança é mesmo interna, coração e mente. O que mais me surpreendeu foram as mudanças como pessoa. Surge o medo, a insegurança de acontecer qualquer coisa e deixar o pacotinho sozinho…” conta, emocionada. “Mudam as prioridades, os valores. Mas é uma mudança positiva, uma evolução”.

Adaptar-se ao novo momento tem sido o maior desafio agora. E ela confessa que nem tudo sai como o previsto ou desejado. “A gente paga com a língua sobre várias coisas… jurei que ia ter (parto) normal e não consegui. Jurei que não ia dar bico e ele teve muita dor, tive que abrir mão. Jurei que ia voltar pra academia logo após a quarentena e hoje me desdobro em 50 em dupla jornada e ainda não consegui”, conta a empresária, mandando bem na verdade que tantas mães reconhecem em suas vidas.  “A gente tem que se adaptar conforme nossa rotina. Sem padrões, esse é o principal aprendizado.”

O dia a dia

O trabalho não ficou de lado, mas é preciso saber dividir o tempo entre os afazeres profissionais e o lado mãe. E tempo é tudo na vida de um empreendedor. Ao contrário do que muita gente pensa, ter o próprio negócio nunca significa trabalhar menos horas do que as dedicadas como empregado. Ser empreendedor traz a responsabilidade de trabalhar quase 24 horas por dia, pois o negócio está sempre sob sua gerência e visão. “Voltei a trabalhar sem completar a quarentena da cesárea, com 14 dias apenas. Os primeiros dias foram mais difíceis, pela dependência e costume”, nos conta. “Agora tudo vai voltando ao normal”.

É fundamental que a mamãe empreendedora consiga dividir seu tempo para que os filhos cresçam amados, cuidados e educados – e reconhecendo a importância do trabalho da mãe para a vida dela e de toda a família. “É claro que não é fácil. Tive que complementar a amamentação com fórmula”, revela. E nos mostra como é o dia a dia. “Saio 6h30 de casa e volto às 19h… meu trabalho é longe e só consigo ordenhar 300 ml por dia. Ele mama 120 ml por mamadeira de 2 em 2 horas e ainda não pode sair de casa porque não tem as vacinas. Ou seja, não tive escolha”. 

Mas a ideia é ir se adaptando e descobrindo como fazer desse cotidiano o mais prazeroso e produtivo possível. “A gente tem que fazer o que é melhor no contexto em geral. E ninguém é mais ou menos mãe por isso. O que importa é todos estarem bem. Ele fica com a babá durante o dia, mas o tempo que estou com ele aproveito com qualidade”.

Sonhos

O passo mais importante, Déborah já deu – compreender que a vida muda de verdade com a chegada de um bebê. E ela com certeza está disposta a fazer de tudo para que Pietro cresça feliz e saudável. Os valores que ela quer que Pietro conheça e aprenda? “Respeito pelo próximo, gratidão pela vida e por qualquer oportunidade que seja”, se derrete a mamãe. “E a  importância do trabalho, da dedicação e do comprometimento”, lembra o lado empresária. Mas, acima de tudo, assim como ela, Déborah quer que Pietro cresça cheio de amor pela vida.

Para os negócios, Déborah continua pensando em novos projetos. E para a vida com Pietro? Eu posso dizer que sou abençoada por ter conseguido alcançar grande parte dos meus sonhos. Agora o maior deles é acompanhar meu bebezinho até bem velhinha, com muita saúde e amor.” Que os sonhos e a realidade fiquem cada vez mais próximos para essa família linda.